Alunos da rede pública em Amajari, Bonfim e Boa Vista participam de projeto de robótica do IFRR

O projeto recebeu o financiamento de R$ 82 mil para a compra de equipamentos e pagamento de bolsas aos extensionistas

Por: IFRR | Foto: IFRR


O Instituto Federal de Roraima (IFRR), por meio dos Campi Boa Vista (CBV)Avançado Bonfim (CAB) e Amajari (CAM), lança o projeto de extensão “Ensino da lógica de programação e raciocínio matemático aplicados à robótica”. Ele será desenvolvido por docentes e estudantes bolsistas da cada unidade participante, tendo como público-alvo alunos da rede pública que estudam nos anos finais do ensino fundamental.

Segundo uma das coordenadoras do projeto, professora Karla Tabosa, do CAB, o objetivo da ação é desenvolver a criatividade, a autonomia, o raciocínio lógico e a capacidade de resolução de problemas enquanto o aluno aprende a programar. O curso que será ministrado, com carga horária de 24 horas, será dividido em seis aulas presenciais e terá certificação.

A capacitação vai beneficiar estudantes das unidades de ensino parceiras do projeto nos três municípios que participam da ação: Amajari, Boa Vista e Bonfim. No primeiro, ela será ofertada aos alunos da Escola Estadual Militarizada Ovídio Dias de Souza a partir do dia 26 de abril. No segundo, serão atendidos os estudantes da Escola Estadual Dom José Nepote, em Boa Vista, e as aulas começam no dia 28. No terceiro, duas escolas serão contempladas: o Colégio Estadual Militarizado Aldébaro José de Alcântara e a Escola Municipal Oscar Fernandes Costa, a partir do dia 27.

Selecionado por meio do Edital de Chamamento Público 88/2022 da Setec, numa parceria do IFRR com Instituto Federal do Espírito Santo (Ifes), o projeto recebeu o financiamento de R$ 82 mil para a compra de equipamentos e pagamento de bolsas aos extensionistas. Conforme a professora Karla, ele visa proporcionar aos alunos a oportunidade de aprender programação e raciocínio matemático com o auxílio da robótica, de forma a incentivar a aplicação desses conhecimentos no ambiente escolar e estimular o pensamento computacional para a resolução de problemas.

Além disso, o projeto visa aprimorar o processo de ensino- aprendizagem por meio do ensino da programação, da matemática e da robótica, visando ao desenvolvimento da criatividade, da autonomia, do raciocínio lógico e da capacidade de solucionar problemas. “Eles [os estudantes] vão utilizar a programação e a robótica, proporcionando um aprendizado multidisciplinar das áreas envolvidas”, disse Karla.

Comente

Seu e-mail não será publicado. Campos obrigatórios *.

Isso vai fechar em 20 segundos