Prêmio Índice de Governança Municipal – Boa Vista é reconhecida por eficiência na gestão pública

O evento é promovido pelo Instituto Brasileiro de Gestão por Resultados (IBGR), em parceria com o Conselho Federal de Administração (CFA)

Por: Semuc | Foto: Semuc


Boa Vista foi uma das cidades brasileiras condecoradas com o Prêmio Índice de Governança Municipal IGM CFA 2023, durante o II Congresso Brasileiro de Gestão por Resultados. A cerimônia aconteceu na sexta-feira, 10, no Hotel Royal Tulip, em Brasília -DF. O prêmio reconhece e valoriza os municípios que se destacam na eficiência da gestão pública, na transparência, na qualidade dos serviços e no cumprimento de metas e objetivos.

“A conquista do Prêmio IGM CFA 2023 traz mais visibilidade para o município, atraindo investimentos e parcerias que contribuam para o seu desenvolvimento. Além disso, o reconhecimento público através da premiação fortalece o nosso trabalho, sempre comprometido com a eficiência e a transparência na administração pública”, comentou o prefeito Arthur Henrique.

O evento é promovido pelo Instituto Brasileiro de Gestão por Resultados (IBGR), em parceria com o Conselho Federal de Administração (CFA). Foram três dias de congresso com a participação de municípios de 22 estados brasileiros. Na programação teve palestras sobre gestão pública focada no município, como atualizar os processos, os fluxos, dentre outros temas. No último dia, as prefeituras com as melhores notas receberam a premiação.

O ouvidor geral do município, Kauan Pirolla, participou da cerimônia e destacou a atuação da gestão que levou ao resultado. “Este reconhecimento demonstra o comprometimento e o engajamento da gestão municipal em buscar a excelência na governança, promovendo o desenvolvimento da capital e a qualidade de vida das pessoas”, disse.

O IGM/CFA

Consiste em uma métrica da governança pública nos municípios brasileiros a partir de três dimensões: Finanças, Desempenho e Gestão. A dimensão Finanças é baseada em indicadores que avaliam a gestão fiscal do município e o gasto em saúde e educação. O índice mensura também as boas práticas de governo, que norteiam os gestores com informações relevantes, sobre o desempenho do município.

O resultado de Boa Vista

Pertencente ao Grupo 7, municípios acima de 100 mil habitantes, Boa Vista recebeu a melhor nota de Roraima e a segunda melhor nota das capitais do Norte. Algumas pontuações específicas se destacaram: 9,8 em Saneamento e Meio Ambiente; 8,42 em Vulnerabilidade Social; 10 em Equilíbrio Previdenciário e 8,51 em Indicador Fiscal.

Capacidade de pagamento (CAPAG 2022) – Boa Vista entre as 14 capitais brasileiras classificadas com nota máxima (A) neste levantamento feito anualmente pelo Tesouro Nacional. Isso significa que a capital é elegível para receber a garantia da União em operações de crédito. A classificação é concedida a cidades que apresentam equilíbrio orçamentário, transparência nas contas públicas e responsabilidade fiscal.

Boa Vista entre as 10 melhores cidades do País para se fazer negócios no comércio – Um ranking elaborado pela consultoria Urban Systems apontou Boa Vista entre as 10 melhores cidades brasileiras para fazer negócios na área comercial. Isso pode ser explicado pelos investimentos da Prefeitura para diminuir a burocracia e facilitar a criação e manutenção de novos empreendimentos. Município aparece a frente de capitais como Palmas (TO), Vitória (ES) e Belo Horizonte (MG).

“Prêmio Liberdade para Trabalhar” – A dispensa de alvará para 940 atividades de baixo risco, tornou Boa Vista a capital mais livre para trabalhar do Brasil, de acordo com o Mapa da Liberdade para Trabalhar, levantamento feito pelo Instituto Liberal de São Paulo (ILISP) em mais de 3 mil cidades brasileiras. Em agosto deste ano, o prefeito Arthur Henrique recebeu esta honraria por impulsionar a economia, promover empreendedorismo e a desburocratização de serviços.

4º melhor do país, segundo levantamento do sistema Firjan – Em 2021, Boa Vista foi classificada como gestão fiscal de excelência, ficando em 4º lugar no ranking de gestão fiscal das capitais do Brasil em 2020. O levantamento do sistema Firjan foi divulgado em outubro de 2021. A média do Índice Firjan de Gestão Fiscal (IFGF) foi calculada em cima de quatro quesitos: autonomia, gastos com pessoal, liquidez e investimentos.

Comente

Seu e-mail não será publicado. Campos obrigatórios *.

Isso vai fechar em 20 segundos