Centro Especializado em Autismo irá atender crianças da rede municipal de ensino de Boa Vista

Na unidade serão ofertados serviços como psicologia, fonoaudiologia, fisioterapia, terapia ocupacional, pedagogia, arte, educação física e serviço social

Por: Redação | Foto: PMBV


As crianças com autismo que estudam na rede municipal de ensino de Boa Vista agora contam com um Centro Especializado em Transtorno do Espectro Autista. A Prefeitura de Boa Vista inaugurou a unidade nesta terça-feira, dia 23. Localizado na avenida Glaycon de Paiva, no bairro São Vicente, o Centro vai garantir suporte quanto a métodos de ensino e recursos pedagógicos já desenvolvidos nas unidades escolares do município, que atende hoje 784 alunos autistas.

O prefeito Arthur Henrique destacou que o Centro oferece uma estrutura pioneira, nunca vista em Roraima. A ideia é fortalecer ainda mais o trabalho desenvolvido na Educação Especial do município, visando contribuir para melhor qualidade de vida das crianças com TEA, por meio de atendimentos que permitirão o desenvolvimento de suas potencialidades, garantindo mais autonomia.

“Através de uma equipe formada por profissionais de diversas áreas reforçaremos a assistência aos nossos alunos com autismo e seus familiares. O encaminhamento dessas crianças ao Centro ficará por conta das próprias escolas, conforme necessidade. Boa Vista já tem uma das redes mais inclusivas do país e estamos muito felizes em fortalecer, ainda mais, esse compromisso com as nossas crianças autistas”, disse.

Centro oferecerá atendimentos especializados em diversos segmentos

Serão oferecidos atendimentos especializados em diversas áreas fundamentais para o desenvolvimento efetivo das crianças com TEA, como: psicologia, fonoaudiologia, fisioterapia, terapia ocupacional, pedagogia, arte, educação física e serviço social.

O Centro conta ainda com salas de atendimento educacional especializado, acolhimento, serviço social, avaliação multidisciplinar, sala de artes/música, brinquedoteca, área de circulação, refeitório, banheiros para PCD, dentre outros espaços.

A presidente da União de Pais e Pessoas Autistas (UPP), Muriane Gianluppi, destacou a relevância da iniciativa. “O que mais me chamou atenção foi a janela de vidro nas salas que permite aos pais olharem a criança durante a terapia, sendo literalmente um atendimento transparente. Sabemos que uma criança com autismo, sem terapia, é uma criança que não evolui e poderá ser um adulto não funcional. De fato uma sementinha que foi plantada e esperamos que sirva de inspiração para outras iniciativas similares”, explicou.

Thays Ribeiro é mãe da pequena Maria Fernanda, de 8 anos, e reconhece a necessidade de mais apoio e atenção a causa. Ela contou que Maria teve um diagnóstico tardio e que tem se desenvolvido graças aos atendimentos na Sala de Recursos Multifuncionais da Escola Municipal Cunhatã Curumim.

“Sou muito de pesquisar e quando descobri sobre o autismo da Maria, busquei lugares e alternativas para contribuírem com o desenvolvimento dela. No particular é tudo muito caro. Depois que ela começou a ser atendida na escola, evoluiu muito. Era uma criança repetitiva, se isolava e pouco conversava. Hoje, ela já consegue se comunicar e sentar para fazer uma atividade. Como mãe, estou muito feliz e espero que o Centro contribua para que ela se desenvolva cada vez mais”.

Comente

Seu e-mail não será publicado. Campos obrigatórios *.

Isso vai fechar em 20 segundos