Cicloturismo, trilhas e aventura: conheça os roteiros turísticos alinhados à prática de atividade física

O Mtur separou alguns destinos que são ideias para fazer aquela foto e postar o “tá pago do dia” em locais paradisíacos como praias, montanhas, cânions, vinhedos e cachoeiras

Por: Mtur | Foto: Freepik


Roteiros que abrangem cicloturismo, trilhas e aventura são ideias para criar uma prática esportiva aliada ao prazer de conhecer novos lugares. Pegue sua garrafa de água, vista uma roupa confortável e adequada para o ambiente escolhido e venha com o Ministério do Turismo (MTur) postar o famoso “treino pago do dia”, em uma (ou mais) das diversas opções de atrativos turísticos do Brasil:

CICLOTURISMO

Uma maneira interessante de viajar pelo país é por meio do cicloturismo, pois o território brasileiro possui diversos caminhos para a prática desse esporte. Inspirado no Caminho de Santiago de Compostela, na Espanha, o Caminho da Fé passa por destinos como São Paulo e Minas Gerais. O trajeto, que possui aproximadamente 2.500 km, percorre belas paisagens em meio às montanhas da Serra da Mantiqueira.

Outra opção para curtir o turismo sob duas rodas na “bike” (ou bicicleta, em português) é o Caminho de Cora Coralina. Passando por 8 povoados e 8 municípios do Goiás, a rota soma aproximadamente 300 km que podem ser feitas a pé, durante 13 e 15 dias, ou de bicicleta, em 4 a 8 dias. O percurso permite contemplar a natureza de Corumbá do Goiás e outra cidades da região, oferecendo riqueza de diversidade histórica, gastronomia e poesia.

Desenvolvido com sinalização de setas amarelas, placas orientativas e navegação por GPS, o Vale Europeu (uma rota de 300 km) é outro destino para os amantes do pedal. O percurso passa por estradas de terra e calçamento nas áreas rurais e urbanas e acompanha as belezas do litoral catarinense e vinhedos. Dizem que lá é possível até conhecer famosos vinhedos e avistar as baleias Franca, na Rota das Baleias.

TRILHAS

Ligando a Comunidade Maravilha, em Santa Izabel (PA) à Serra do Piriá, em Viseu (PA), está a Trilha Amazônia Atlântica, que percorre cerca de 30 comunidades tradicionais. Durante a atividade, que contam com uma rota de 460 Km, é possível ter uma experiência cultural, gastronômica e de contato com a biodiversidade amazônica, incluindo igarapés, rios e a maior faixa contínua de manguezal do continente. A trilha pode ser percorrida por ciclistas, caminhantes, ou até mesmo por cavaleiros e cavaleiras.

Já a próxima trilha vai permitir que o caminhante pratique atividades físicas e desbrave lugares inusitados e deslumbrantes do Rio de Janeiro (RJ). Partindo de Guaratiba, na zona oeste Carioca, até o Morro da Urca, a trilha de longo curso Transcarioca cruza a cidade do Rio por um percurso de 183 km. Durante o trajeto, é possível apreciar a beleza natural da Cidade Maravilhosa, passando pelo Pão de Açúcar, montanhas, caminhos de água, mirantes e uma bela vista dele: o Cristo Redentor. O trajeto foi o primeiro da América do Sul a ser membro da World Trails Network e ainda foi eleito pela revista Go-Outside como uma das melhores 25 trilhas do mundo.

Com aproximadamente 600 km, o Caminho das Araucárias (RS/SC) viaja pelos Parques Nacionais de Aparados da Serra e da Serra Geral, compostos por cânions, campos, rios, matas encrustadas da Mata Atlântica, comunidades tradicionais e cultura local. O percurso possui locais que permitem descanso, aventura e surpresas, como o encontro com as belezas das aves da região.

Para quem procura aventura e natureza em regiões serranas, o Caminho das Ararunas (PB) é o destino. Com mais de 100 km de percurso, os visitantes podem se hospedar em espaços de camping, casa de moradores, ou em pousadas e hotéis. A trilha passa por vales, caninos, montanhas, vilas, povoado, sítios arqueológicos, e grandes blocos rochosos surpreendente, como a Pedra da Caveira, a Pedra da Boca, a Pedra do Forno do Coração, a Pedra do Chapéu, a Pedra olho d´água dos Índios, a Pedra da Macambira e Canino da Serra Verde, e o Cânion do Macapá.

TRILHAS E MTUR

Essas trilhas fazem parte da Rede Nacional de Trilhas de Longo Curso e Conectividade, projeto realizado por meio de uma parceria entre os Ministérios do Turismo, do Meio Ambiente e ICMBio, que trabalham no planejamento e gestão das trilhas brasileiras. A iniciativa promove trilhas bem planejadas e que possuam ferramentas de conservação ambiental. Clique AQUI e saiba mais.

AVENTURA

Para aqueles que gostam de esportes radicais (ou nem tanto) o Rio de Janeiro (RJ) oferece oportunidades imperdíveis. Práticas como voo livre na Pedra Bonita; surfe, windsurfe e iatismo na Baia de Guanabara; e kitesurfe na Barra da Tijuca proporcionam adrenalina e aventura aos turistas que desbravam a natureza por meio do esporte.

Nesse roteiro, encontram-se as belezas de um “oásis” em terras tocantinenses. Em clima de deserto, o Parque Estadual do Jalapão (TO), faz o turista adentrar cachoeiras, corredeiras e poços de água cristalina entre enormes dunas. Os atrativos mais procurados são os fervedouros, que são nascentes de água formando piscinas naturais. Em alguns pontos, eles podem chegar há mais de 30 metros de profundidade. Vale a pena cada segundo da aventura rumo a esse paraíso natural.

No Mato Grosso do Sul, a cidade de Bonito oferece diversas opções que juntam esporte e aventura. Entre os principais atrativos estão trilhas, passeios de bote, mergulho, e esportes radicais, como o rapel de até 72 metros de altura. Um dos passeios queridinhos é a Gruta do Lago Azul e a visita ao Parque Ecológico Rio Formoso, que conta com tirolesa e trilhas de bike. O turista aventureiro também pode praticar flutuação nas águas cristalinas do Rio Sucuri.

Comente

Seu e-mail não será publicado. Campos obrigatórios *.

Isso vai fechar em 20 segundos