Confira os principais destinos para experimentar pratos típicos do feriado religioso

Viaje pelas regiões do Brasil e descubra o que é saboreado no feriado nacional

Por: Mtur | Foto: Secretaria Municipal de Turismo e Cultura de Canela/RS


Chegou uma das épocas mais esperadas no ano: a Páscoa, que é marcada pela representação religiosa, pelo momento de comer muito chocolate ou de juntar a família para confraternizar e se deliciar com uma refeição especial. Esse feriado traz à mesa da população brasileira diversos pratos típicos, e é claro que o Ministério do Turismo (MTur) não deixaria de indicar alguns locais que atraem os turistas com pratos saborosos.

SIGNIFICADO – Celebrado em todo primeiro domingo de abril, a Páscoa celebra a paixão de Jesus Cristo e reúne milhões de fiéis pelo Brasil. Cada religião possui a sua forma de manifestar essa expressão de fé, no catolicismo, por exemplo, os fiéis comemoram a Páscoa realizando um jejum de carne vermelha, normalmente sendo 40 dias antes da Sexta-feira Santa.

Na cultura Judaica, é comemorado o fim da escravidão, com a saída do povo de Deus do Egito. São servidos pratos tipicamente populares do povo hebreu no passado, como o pão ázimo-matzá (pão assado sem fermento), a carne de cordeiro e também alguns doces. Pelo Brasil, a festa é realizada em diversas vertentes, variando em denominações religiosas, tradições e símbolos das Páscoa.

Em cada região do país, o feriado é celebrado com suas refeições típicas. Depois de entender o significado da Páscoa, é hora de aproveitar para conhecer um pouco mais das delícias que são servidas na data. Conheça as principais opções de destinos com receitas deliciosas:

Centro-Oeste

Passeando pelas ruas históricas e casarões do século 18, a Páscoa em Pirenópolis (GO) é celebrada com rituais e festas populares. Na região, são realizadas procissões e manifestações populares que envolvem música, queima de fogos, congadas, bailes, muito chocolate, e a famosa Festa do Divino, que distribui “Verônicas de Alfenim” – doces esculpidos pela população feitos de açúcar, limão e clara de ovo -, além dos saborosos “Pãezinhos do Divino”.

Adentrado o sul do Centro-Oeste, a região de Mato Grosso do Sul carrega em suas raízes a influência paraguaia. Os turistas podem experimentar a famosa chipa, uma versão diferente do pão de queijo, feita com ervas temperadas. Há ainda a opção de conhecer a sopa paraguaia, feita a base de milho, que lembra mais uma torta.

E a comida na região vai além do sabor: Em Cuiabá, diz a tradição que as pessoas que comerem canjica em sete casas diferentes podem fazer um pedido e ele será realizado.

Sudeste

Todos os anos, São Paulo (SP) e Rio de Janeiro (RJ) se unem para manter uma grande tradição. A comunidade grega reúne o máximo de pessoas, onde cada um personaliza seu próprio ovo (ovo de galinha), deposita um pedido e, de acordo com a tradição, os ovos que permanecerem intactos, terão o seu pedido realizado. Reunidos pela Páscoa Grega, a comunidade costuma degustar a Magiritsa (sopa de fressura de borrego da Páscoa), uma sopa feita de miúdos de carneiro e servida comumente após os 48 dias de quaresma.

Viajando para o Sudeste do país, as cidades carregam um misto de costumes e iguarias. Em Guaratinguetá (SP), no Vale da Paraíba, acontece o Festival da Paçoca e do Pilão, que reúne milhões de pessoas nessa época. Expostas em barracas, durante o evento são oferecidos doces e salgados preparados com amendoim, farinha de mandioca, açúcar e sal.

Em Ouro Preto (MG), cidade histórica e cheia de paroquias barrocas, acontece o famoso “tapete de flores”. Percorrendo 3 quilômetros, a cidade é decorada com tapetes que são apreciados durante as procissões. Neles estão presentes desenhos de serragem colorida, flores, areia e palha. Podem ser imagens religiosas ou mesmo formas geométricas. Durante essa época, é comum as mesas servirem comidas típicas mineiras com um café quentinho e pão de queijo.

Sul

A região Sul é famosa pela comercialização e produção de chocolate e no Rio Grande do Sul as cidades recebem uma super decoração e contam com pratos para lá de saborosos. O estado carrega em sua culinária a influência alemã, como a Cuca, prato típico também servido na Páscoa, com sabores doces, crocantes e amanteigados.

Falando em cultura alemã, Pomerode (SC) é conhecida como “cidade mais alemã do Brasil”. Nela é realizado o Osterfest, que dura um mês e celebra o feriado com os mais diversos tipos de ovos e com o maior ovo de Páscoa do mundo (reconhecido pelo Guinness World Records).

Marcado pelos descendentes e imigrantes ucranianos, o Paraná é conhecido por servir a famosa Paska, um pão artesanal, preparado no dia de domingo em família. O estado conta ainda com os pêssankas, ovos que são decorados à mão e enviam bons desejos aos presenteados.

Nordeste

Há espaço para tudo no Brasil, no Nordeste, por exemplo, existem três principais pratos que estão sempre presentes na Páscoa. De origem africana, tipicamente consumido na Sexta-Feira Santa, o quibebe é feito como um tipo de purê de jerimum (abóbora) e é um dos pratos mais consumidos na região. Em segundo, encontrado principalmente na Bahia, está o arroz de coco (cozido com leite), e em terceiro o representativo feijão de coco, servido como um caldo bem grosso.

O peixe é uma das grandes atrações desse feriado. Reconhecida por rankings internacionais de melhores pratos do mundo, a moqueca está presente no feriado dos nordestinos. Oferecendo uma diversidade de pescados, a moqueca da Páscoa leva azeite de dendê, Posta de Tilápia Seara, cebola roxa picadinha, pimenta-de-cheiro e mais alguns ingredientes.

Norte

O Norte é recheado pelos chocolates únicos, que são moldados com as características da Região, misturando a iguaria com frutas típicas. As principais escolhas são açaí, cupuaçu, cajá e castanha-do-pará e ainda o Camaru, semente que tem sabor parecido com o da baunilha. É claro que o açaí também estaria presente junto com os pratos salgados, sendo degustado com farinha de tapioca, peixes e camarão.

Realizada por todo o país, a “Procissão do Senhor Morto” é também uma tradição típica do Pará. Durante a caminhada, as pessoas que possuem alguma doença, medem a parte do corpo de Cristo relativa à doença com um pedaço de barbante, que é amarrado na parte do corpo doente.

Comente

Seu e-mail não será publicado. Campos obrigatórios *.

Isso vai fechar em 20 segundos