Em Parintins, Prefeito Arthur participa de solenidade de autorização das obras do Linhão de Tucuruí

A obra vai conectar o Estado de Roraima ao Sistema Interligado Nacional (SIN), algo esperado há mais de dez anos pelos roraimenses

Por: Fábio Cavalcante | Foto: Elcio Farias


Um evento histórico. Assim definiu o prefeito Arthur Henrique a assinatura pelo presidente Luís Inácio Lula da Silva da ordem de serviço para o início das obras do chamado Linhão do Tucuruí, uma linha de transmissão que vai ligar Manaus a Boa Vista e conectar Roraima ao Sistema Interligado Nacional (SIN). A solenidade ocorreu nesta sexta-feira, 4, na cidade de Parintins (AM).  

Arthur foi convidado a fazer parte da comitiva oficial do presidente Lula a Parintins e comemorou o momento, pois o Linhão é esperado há mais de dez anos pelos roraimenses e que agora se tornará realidade. O prefeito destacou que a obra representará a segurança energética do Estado, que vai resultar não apenas em maior qualidade de vida à população, mas também geração de emprego e renda com a possibilidade do desenvolvimento industrial no Estado.

“Este é um momento histórico. O Linhão já é uma realidade. Já chegou a Macapá, Manaus, agora aqui em Parintins e, logo chegará a Boa Vista. E para mim é uma honra poder estar aqui nesse momento tão importante, um dos mais esperados da história no nosso Estado. É realmente um grande orgulho estar ao lado do presidente, dando esse ‘pontapé inicial’ na obra mais importante da história de Boa Vista e do Estado de Roraima”.  

O prefeito ressaltou ainda que “a construção do linhão tem grande valor ambiental, pois as termelétricas, fortes consumidoras de combustíveis fósseis, não serão mais necessárias. Com a energia renovável gerada por Tucuruí, será reduzida a emissão de poluentes e gases do efeito estufa, prejudiciais ao meio ambiente”.

O investimento total da obra de construção do Linhão em Roraima será de R$ 2,6 bilhões. A extensão das linhas de transmissão será de 721 km, sendo que 122 km de torres vão atravessar a Terra Indígena Waimiri Atroari, cujos habitantes autorizaram no ano passado a passagem pela região. A expectativa é que a conclusão ocorra por volta de setembro de 2025.  

Comente

Seu e-mail não será publicado. Campos obrigatórios *.

Isso vai fechar em 20 segundos