Ferramenta tecnológica, Projeto BV-128 ensina história de Boa Vista usando realidade virtual

São 14 escolas municipais envolvidas no novo ciclo do projeto e mais de 2.000 alunos do 3º ano aprendem os acontecimentos históricos de Boa Vista apenas jogando

Por: Bruna Norales | Foto: Andrezza Mariot/Semuc


Tecnologia e aprendizado andam lado a lado nas aulas da rede municipal. Presente nas escolas desde 2019, o projeto BV-128 é uma ferramenta que combina diversão e aprendizado para a criançada. Os pequenos estão estudando a história de Boa Vista enquanto jogam o game e conferem os acontecimentos da cidade, de 1830 até os dias atuais. E o melhor de tudo, de forma gratuita.

Para os alunos do 3º ano da Escola Municipal Carmem Eugênia Macaggi, uma das 14 escolas contempladas com o projeto, a sala de aula agora é um lugar onde a história ganha vida por meio de dispositivos digitais. Os alunos mergulham nas histórias de personagens do passado, com a oportunidade de vivenciar momentos marcantes como se estivessem lá, por meio da realidade virtual (VR).

“A nossa escola ficou muito feliz em saber que seria a primeira a participar do Projeto BV-128 em 2023. Os nossos professores passaram por uma capacitação para auxiliar os alunos da melhor forma durante a dinâmica e, de fato, ensinar a disciplina usando o game. As crianças adoram e ficam curiosas”, disse a gestora Wiliane Moraes.

DUO NO BV-128 – As amigas Sofia Ferreira e Yohanna Vieira, de 8 e 9 anos, dariam ótimas streamers, devido ao carisma e parceria durante as fases. Elas compartilham as jornadas uma com a outra e comentam cada descoberta. As duas amam jogar e baixaram o game no próprio tablet para se divertirem em casa também. “É muito legal, eu já passei de todas as fases, mas não canso de jogar”, comentou Yohanna.

FORMARAM UM “SQUAD” – Se chamar os alunos Miguel Sousa e Ruth Manuele, de apenas 8 anos, o modo de jogo entre quatro pessoas já pode iniciar juntamente com as amigas Sofia e Yohanna. Juntos, os quatro estão ainda mais envolvidos na rica história da cidade. E além do aprendizado acadêmico, eles estão levando dicas para a vida fora da escola também.

“Nós precisamos seguir regras para passar de fase no jogo. Isso me fez pensar em quando a minha mãe pede para eu fazer alguma coisa. Na realidade é igual. Eu tenho que obedecer porque ela só quer o meu bem. O jogo ensina isso também”, contou Miguel.

AULA FUTURISTA – A professora do 3º ano, Mônica Motta, relata o entusiasmo dentro da sala de aula. “Essa experiência contribui muito para a aprendizagem, porque eles conseguem vivenciar a época do início da construção da cidade, então se torna mais significativo. Com o jogo, as crianças ficam mais atentas durante a aula teórica, pois já estão familiarizadas com o assunto”, afirmou.

“ISSO É MUITO BLACK MIRROR” – Para aprender jogando, tudo que os alunos precisam é de internet, tablet e fones de ouvido. Todo esse equipamento é disponibilizado pela Prefeitura de Boa Vista. E os pequenos podem ter uma experiência ainda melhor, mergulhando na história com os óculos de realidade virtual. Até parece um episódio da série britânica futurística “Black Mirror”, mas é aqui na capital roraimense mesmo.

“Eles podem ter uma visão aprimorada e interagir com os objetos 3D usando os óculos. É o virtual no mundo real! Um dos alunos comentou sobre o tamanho do Forte São Joaquim. Quando ele colocou os óculos, viu que era muito maior do que imaginava”, disse Lúcia Dias, game designer.

De acordo com Lúcia, para desenvolver o jogo foi preciso dois anos de estudo sobre a história, fauna e flora local, Além do tempo para a programação do software. E quem sabe, futuramente, o acontecimento histórico de levar tecnologia para as salas de aula das escolas públicas esteja presente em mais um capítulo do BV-128, que recebeu esse nome por surgir no aniversário de 128 anos da cidade, em 2017.

Conheça as fases do jogo (linha do Tempo):

·       Forte São Joaquim (1829 – 1835) – A fase acontece no período de 1829 até o término do Forte São Joaquim. O aluno nessa fase será um soldado cuja missão é guardar o ponto tático – defensivo.

·       Fazenda São Marcos (1833 – 1835) – Nesta fase, o aluno será um recruta enviado do Forte São Joaquim a Fazenda São Marcos, a missão principal é buscar mantimentos para abastecer o Forte.

·       Fazenda Boa Vista (1890 – 1905) – A fase acontece no período de 1890, onde o aluno será uma criança da época que mora próximo à fazenda Boa Vista do Rio Branco. Dentre as missões, a principal é auxiliar os pais e conhecidos nas tarefas comunitárias na Freguesia.

·       Boa Vista (Dias Atuais) – Nesta fase, as missões serão exploratórias (livre) pelo Centro de Boa Vista, permitindo conhecer alguns dos principais pontos turísticos, como Orla Taumanan, Igreja Nossa Senhora do Carmo, Parque do Rio Branco e muito mais.

Comente

Seu e-mail não será publicado. Campos obrigatórios *.

Isso vai fechar em 20 segundos