Mais de 30 bairros de Boa Vista estão em alto risco para dengue

Maioria dos criadouros detectados ocorre nas casas, aponta levantamento

Por: PMBV | Foto: PMBV


A Superintendência de Vigilância em Saúde (SVS) divulgou o resultado do 2º Levantamento Rápido de Índices para Aedes aegypti (LIRAa) de 2023 em Boa Vista, ocorrido neste mês de maio. Trata-se de um instrumento necessário para mapear e identificar focos de Aedes aegypti, mosquito transmissor da dengue, zika e chikungunya. Ante a isso, o município reforça a população para que todos os cuidados sejam tomados a fim de evitar uma epidemia.

De acordo com os resultados desse segundo levantamento, o município de Boa Vista apresenta Índice de Infestação Predial de 4,9%, sendo que o satisfatório é abaixo de 1%. Dos 8.295 imóveis pesquisados, 407 deram positivos para larvas de Aedes aegypti e 59 para Aedes albopictus, ambos superiores ao levantamento anterior, ocorrido em fevereiro deste ano. Foram pesquisados 58 bairros, onde 32 foram classificados como índice de alto risco, 17 médio risco e 9 baixo risco, conforme mapa abaixo.

A superintendente de Vigilância em Saúde, Ana Paula Merval, alertou que o período chuvoso é um agravante para o acúmulo de água e formação de criadouros de mosquitos, gerando dados superiores aos do período seco. “A população deve ter atenção redobrada na hora do descarte de resíduos, evitando locais inapropriados como terrenos baldios e fazendo a limpeza de recipientes que sejam criadouros em potencial em seus quintais”.

Criadouros do mosquito – De acordo com o levantamento, a maioria dos criadouros (37,9%) estão localizados no lixo, seguido por 33,3% em depósitos móveis como bebedouros, recipientes e vasos; 16,6% em pneus, 5,4% em depósitos fixos como calhas e lajes e 4,8% em depósitos ao nível do solo como barris, poços e tanques.

O relatório do LIRAa recomenda para a população fazer a verificação diária da parte interna e externa de seus imóveis, considerando que o lixo doméstico é o principal criadouro contribuindo com a proliferação do Aedes.

Ações de combate – A prefeitura segue atuando no município, visitando as casas e alertando sobre os riscos, sobretudo nas áreas de alto índice. Além das visitas, as equipes de combate a endemias fazem bloqueio vetorial em casos identificados e pontos estratégicos e palestras sobre o ciclo de vida e eliminação do mosquito.

Veja no mapa os bairros com alto risco:

Comente

Seu e-mail não será publicado. Campos obrigatórios *.

Isso vai fechar em 20 segundos