Professora inova ensino levando alfabetização aos alunos de casa em casa

O projeto “Professora visita minha casa?” surgiu para auxiliar alunos, do 3º Ano, com dificuldades de aprendizagem

Com informações de Ceiça Chaves | Foto: Andrezza Mariot

Através do projeto “Professora, visita minha casa?”, a educadora Mônica Felício, da Escola Municipal Carmem Eugênia Macaggi, vem auxiliando seus alunos com dificuldades de aprendizagem. Com uma maletinha de atividades pedagógicas, ela segue, de casa em casa, levando uma proposta de ensino lúdico e divertido para ajudar as crianças que ainda não avançaram na alfabetização.

Com o projeto os alunos, aprendem brincando. Tem jogos educativos, fichas de leitura, tabuada, silabário, apostila de alfabetização e quadro de progresso. Todo o material fica com o aluno, como forma de incentivo ao estudo no ambiente domiciliar. As aulas do projeto acontecem com a ajuda dos pais no horário oposto ao escolar.

Para Mônica, a ideia é manter um laço de proximidade com seus alunos, incentivando-os a ter uma rotina de estudo em casa para progredirem em sala de aula. “O projeto surgiu após o período de diagnóstico, feito no início do ano. Identificamos alunos que precisavam de um olhar diferenciado em relação à alfabetização. O foco também é estreitar os laços com eles e as famílias. A figura do professor na casa do aluno, vivenciando a sua realidade é fascinante para eles”, disse.

Fascinado mesmo ficou Fernando Aquiles, 8 anos, quando chegou sua vez de receber a visita mais que especial da professora. Sua mãe, a dona de casa, Luzinete Rodrigues Silva, 51 anos, ficou encantada com o projeto e pretende seguir o ensino em casa conforme as orientações.

“Gostei muito da presença da professora aqui em casa, incentivando ele a estudar e se interessar mais para ter um futuro melhor. Muito bom, porque esse projeto vai tirar ele um pouco do celular e do videogame”, declarou. 

Esta aproximação da escola com a família, está sendo essencial para o desenvolvimento do aluno. Nas conversas entre pais e professora, são relatados como está o desempenho da criança em sala de aula, sobre suas limitações, seu desenvolvimento e possíveis situações pessoais que podem dificultar o aprendizado. Lembrando que a vida familiar reflete no rendimento escolar.

Assim, todos estão esperando ansiosos a visita da tão “querida professora”. Lembrando que, ela leva o projeto, orienta e depois retorna para verificar o que foi conquistado. O avanço, entre a situação inicial da criança na aprendizagem até o nível que se almeja alcançar, é registrado pelo próprio aluno no quadro de progresso. O registro é feito com anotações e fotos para serem socializados em sala de aula.

Inicialmente o projeto está sendo voltado aos alunos com mais dificuldades na leitura, escrita e na disciplina de matemática nas duas turmas de 3º da professora. Mas o objetivo é atingir todos os 60 alunos, sendo direcionado um estudo de acordo com o nível de aprendizado de cada um.

Comente

Seu e-mail não será publicado. Campos obrigatórios *.

Isso vai fechar em 20 segundos