Rebanho de comunidade indígena de Boa Vista é vacinado contra a Febre Aftosa

Meta do município é imunizar até o dia 19 de abril cerca de 3.500 animais em 17 comunidades indígenas

Por: PMBV | Foto: PMBV


A primeira etapa da Campanha de Vacinação contra a Febre Aftosa 2023 se iniciou nesta segunda-feira, 10, na comunidade indígena Truaru da Cabeceira, localizada a 75km da capital, onde foram imunizados e vermifugados 250 bovinos.

De acordo com o secretário municipal de Agricultura e Assuntos Indígenas (SMAAI), Guilherme Adjuto, a meta é imunizar e vermifugar cerca de 3.500 animais de 17 comunidades indígenas, sendo 13 da região do Baixo São Marcos e quatro do Murupu. Ele ressalta que a prefeitura é a única do estado que faz esse trabalho nas comunidades indígenas gratuitamente, há mais de onze anos.

“Essa primeira etapa vai se estender até o dia 19 de abril. Esse é um trabalho que a prefeitura realiza todos os anos, no primeiro e segundo semestre através da SMAAI, onde acompanhamos o calendário definido pelo Ministério de Agricultura”, disse o secretário.

A meta é imunizar e vermifugar cerca de 3.500 animais de 17 comunidades indígenas de Boa Vista

Ainda segundo Guilherme, durante a campanha, a prefeitura fornece todo o material para a vacinação dos animais, além da assistência técnica especializada de um médico veterinário e técnicos em agropecuária da SMAAI.

Para o tuxaua da comunidade, Alcemir Duarte Lima, essa ação de vacinação é essencial para o rebanho nas comunidades indígenas que se encontram em Boa Vista. “Temos uma produção coletiva de gados na comunidade e além da vacinação contra a febre aftosa, que é feita pela Prefeitura de Boa Vista, também recebemos toda a assistência técnica”, disse o tuxaua.

Alcemir Duarte Lima é tuxaua da comunidade Truaru da Cabeceira, onde 250 bovinos já foram vacinados e vermifugados

O produtor rural Ilmo de Araújo Braga, de 72 anos, mora há 10 anos na região e hoje é proprietário de 45 cabeças de gado. “É um bom trabalho que a prefeitura tem feito por nós produtores, porque ela dá todo o material da vacina de graça e esse incentivo nos ajuda bastante”, afirmou o produtor.

Segundo o médico veterinário da SMAAI, José Teixeira, a febre aftosa é um vírus que, se atacar um animal, todos os outros do rebanho são passíveis de contrair a doença. “Por isso, é importante essa imunização dos bovinos. A nossa orientação aos produtores é pegar todo o rebanho para ser vacinado e vermifugado”, destacou.

José Teixeira é médico veterinário da SMAAI e orienta aos produtores a imunizar todo o rebanho de cada comunidade

Em 2022 – Durante a Campanha de Vacinação contra a Febre Aftosa em Boa Vista no ano passado foram imunizados nas duas etapas 6.688 animais vacinados de 15 comunidades indígenas: Truaru da Cabeceira, Serra da Moça, Serra do Truaru, Morcego, Campo Alegre, Vista Alegre, São Marcos, Darôra, Ilha, Vista Nova, Mauixi, Três Irmãos, Milho, Lago Grande e Bom Jesus.

Comente

Seu e-mail não será publicado. Campos obrigatórios *.

Isso vai fechar em 20 segundos