Você conhece os direitos de serviços das crianças autistas? Mãe lista itens e dá orientações

A jornalista Priscila Gonçalves utiliza de benefícios para auxiliar no desenvolvimento do filho Pedro, de 3 anos

Por: Bruna Cássia

Foto: arquivo pessoal. Priscila e o filho Pedro, de 3 anos.

Quando uma criança é diagnosticada com o Transtorno do Espectro Autista (TEA), ou simplesmente autismo, é iniciada uma corrida contra o tempo para iniciar uma série de tratamentos para que ela possa se desenvolver da melhor forma possível.

Sejam terapias ou exercícios, os pais iniciam uma rotina de atividades que necessita de atenção, já que a criança com TEA precisa de um cuidado maior.

Pensando em auxiliar outras famílias sobre os direitos de serviços que as crianças autistas e pais delas têm, a jornalista Priscila Gonçalves fez uma lista com os benefícios que ela utiliza, e outros que ela tem conhecimento.

“Temos a carteira de autista e o cordão que dá a acesso preferência em todo lugar. Para viajar foi a melhor coisa que fiz”, iniciou.

Além disso, ela informou que os autistas têm direito de tomar vacina em casa, mas é preciso ir ao posto de saúde solicitar, bem como ter um cartão para estacionar o carro em vagas reservadas. Veja os demais benefícios:

  • Temos direito à isenção no IPVA anual;
  • Temos direito a comprar carro com isenção de IPI e ICMS;
  • Desconto em passagem área para acompanhante;
  • Pela lei, eles têm direito a todas as terapias, inclusive acompanhamento nutricional;
  • Eles têm direito a vaga na escola com assistente e sem limite de vagas em sala;
  • Temos direito a redução da carga horário de trabalho;
  • Eles têm direito medicação gratuita. Mas precisa ter na receita o nome genérico e não o de balcão. Remédios de alto custo q não estão na rede pública podem ser solicitadas com pedido médico também;
  • Quem trabalha em regime de CLT pode sacar o FGTS para pagar as terapias;
  • Passe livre no transporte interestadual, menos em ônibus executivo e de leito;
  • Direito a fast pass, ou seja, fila mais rápida em brinquedos de parques;
  • Direito a meia entrada para o autista e acompanhante.

Lembrando que para solicitar qualquer um dos benefícios, é necessário apresentar o laudo de TEA da criança.

Mais políticas públicas

Nem sempre os benefícios são suficientes para suprir todas as necessidades de uma criança autista. Para a Priscila, seja no serviço público ou pelos planos de saúde, ainda faltam as leis saírem do papel e, de fato, fazer com que as crianças tenham direito a um tratamento de qualidade, pois nem sempre esses serviços são realizados na prática.

Apesar das adversidades sociais, a jornalista conta que ter um filho autista a mudou e mudou a vida dela completamente.

“Eu considero que me tornei muito forte depois de ser mãe, mas depois do diagnóstico do Pedro eu enfrento qualquer desafio. Pois, tenho crescimento de uma forma como ser humano que nunca imaginei na vida. Então só tenho agradecer por esta missão. Não vejo limites para meus filhos, e sei que do jeito deles eles farão tudo que acreditarem”, disse.

Por falar em limites, ela enxerga no Pedro muitas habilidades especiais, o que o torna especial também.

“Vejo meu filho com suas limitações, mas também com tantas habilidades que outros não tem. Então o meu eu foco nele é em tudo que ele tem de bom. E o que é mais difícil eu sei faz parte da nossa vida. Seja pela condição dele ou como qualquer outra pessoa que tem limitações”, concluiu.

1 thought on “Você conhece os direitos de serviços das crianças autistas? Mãe lista itens e dá orientações

  1. Eu sou avó de autista, e acompanho o desenvolvimento dele de perto, sei o quanto é difícil conseguir os tratamentos. E quando uma mãe reclama, ainda considerada de chata. Precisamos sim de mais políticas públicas para atender as necessidades delas.

Comente

Seu e-mail não será publicado. Campos obrigatórios *.

Isso vai fechar em 20 segundos