Acesso a vicinal 1 do P.A Nova Amazônia é feito por desvio durante reforma de ponte

A conclusão dos trabalhos deve ocorrer em até 20 dias; devido a interdição do trecho, acesso a região neste período será feito pela vicinal 3

Com informações da PMBV | Foto: PMBV

Principal polo de produção agrícola da área rural de Boa Vista, o Projeto de Assentamento Nova Amazônia, localizado no Murupu, tem recebido diversos investimentos da gestão municipal. E para tornar o acesso ao local mais rápido e seguro, foi iniciada essa semana, a obra de recuperação da ponte sobre o Igarapé do Lago Azul, na vicinal 1.

Coordenado pela Secretaria Municipal de Serviços Públicos e Meio Ambiente (SPMA), o trabalho ocorrerá ao longo dos 15 metros de extensão da ponte. A estrutura desgastada, devido ao frequente trânsito de veículos, será substituída. O serviço deve ser finalizado em até 20 dias e durante esse período, para ter acesso à região, os motoristas devem utilizar o desvio, sinalizado na vicinal 3.

Ao longo destes dois anos, a prefeitura vem promovendo diversas melhorias nas estradas que servem de rota ao transporte escolar e ao escoamento da produção agrícola. Foram também recuperadas pontes das vicinais Água Boa, Truaru e Vicinal 2 do Polo da Batata Doce. Os investimentos em infraestrutura envolvem um pacote de obras e serviços que garantem mais qualidade de vida às famílias do campo.

Conforme o secretário de Serviços Públicos e Meio Ambiente, Thiago Amorim, as ações estão sendo intensificadas agora, para evitar transtornos no período chuvoso. “Estamos priorizando as manutenções das estradas e pontes em pontos críticos, pois durante as chuvas os moradores sofrem para passar por essas regiões e é uma preocupação nossa facilitar a vida deles”, informou o secretário.

Morador do P.A há mais de 20 anos, o agricultor Sebastião Moura, ficou contente com a obra. “Aqui moram mais de 200 famílias, mas também têm importantes pontos turísticos. A gente só tem a agradecer por estarem pensando na nossa segurança e no desenvolvimento do lugar onde a gente vive”, disse.


Comente

Seu e-mail não será publicado. Campos obrigatórios *.

Isso vai fechar em 20 segundos