Artesãos de Roraima falam sobre a importância do associativismo para o segmento

O encontro aconteceu no auditório da sede do Sebrae, na avenida Major Williams, no São Pedro

Por: Sebrae/RR | Foto: divulgação


A Economia Criativa movimentou mais de R$ 217 bilhões em todo o Brasil no ano de 2022. Em Roraima, o setor representa 1,3% do Produto Interno Bruto (PIB). O segmento conta com profissionais de diversas áreas como design, publicidade, moda, cultura, teatro e entre elas o artesanato. Para auxiliar os artesãos de Roraima a se posicionarem no mercado, o Serviço Brasileiro de Apoio às Micro e Pequenas Empresas (Sebrae/RR) promoveu no dia 22 de maio um bate papo sobre Economia Criativa e Associativismo para o Artesanato.

O encontro aconteceu no auditório da sede do Sebrae, na avenida Major Williams, no São Pedro, e começou com uma apresentação de dança parixara do grupo indígena Kapoi. Logo em seguida, o diretor superintendente da instituição, Emerson Baú, deu as boas-vindas ao público e ressaltou que o Sebrae está sempre à disposição do empreendedor.

A analista técnico da Unidade de Gestão da Inovação, Mercado e Serviços Financeiros (UGIMS), Natália Caldas, explicou que o encontro marca a retomada do relacionamento do Sebrae com os empreendedores da área do artesanato, em especial os do segmento indígena.

É muito importante fomentar e fortalecer o segmento do artesanato, principalmente o indígena, pois colabora com a preservação cultural e mantém tradições, além de gerar emprego e renda. Além disso tudo, os artesãos indígenas também promovem a sustentabilidade, pois as peças são produzidas muitas vezes de matéria-prima que vem da natureza

Associativismo fortalece o segmento do artesanato

Um dos pontos levantados durante o bate-papo foi o associativismo. O artesão muitas vezes enfrenta desafios para encontrar seu espaço no mercado tradicional. É nesse momento que entra em cena o associativismo, um movimento poderoso que une artesãos e artesãs, criando laços de cooperação.

Nesse cenário, o associativismo emerge como uma poderosa ferramenta de fortalecimento e união dos artesãos, possibilitando a troca de conhecimentos, a capacitação e o acesso a canais de venda. A presidente do Sindicato dos Artesãos Autônomos e das Empresas de Artesanato do Estado de Roraima (Sindearter), Kátia Campos, participou do bate-papo e falou um pouco sobre a importância do associativismo para o segmento.

Nós artesãos, seja indígena ou não, nos unimos para poder viver disso. Não adianta eu ir sozinho e o associativismo proporciona isso. Nós estamos juntos, somos uma classe e temos que lutar por ela. Existe sim gente que vive de artesanato e o associativismo garante isso

A artesã indígena Vanda Macuxi trabalha com biojóias. Ela também ressaltou a importância do associativismo para a subsistência.

Nós artesãos indígenas nos unimos para vender nossa produção. Com isso já consegui levar minha arte para outros estados e até mesmo para outros países como Inglaterra, Estados Unidos, Alemanha e Portugal. É muito bom participar de eventos assim, para fortalecer, conhecer e valorizar os artesãos do nosso estado

Como entrar em contato com o Sebrae?

O Sebrae promove diversos eventos, cursos e capacitações para fortalecer a economia criativa em Roraima. O empreendedor do segmento que tiver interesse em contar com esse apoio pode acessar o site do Sebrae no endereço www.sebrae.com.br/rr. Outra ferramenta à disposição é o site da loja Sebrae, no endereço www.loja.rr.sebrae.com.br, onde são ofertados produtos e eventos.

Comente

Seu e-mail não será publicado. Campos obrigatórios *.

Isso vai fechar em 20 segundos