Câmara de Boa Vista reconhece ‘cultura evangélica’ como patrimônio imaterial e cultural

A lei garante o direito da realização de toda forma de expressão da cultura evangélica em Boa Vista

Por: CMBV | Foto: CMBV


A Câmara Municipal de Boa Vista promulgou recentemente a lei municipal nº2.390/2023 que reconhece a cultura evangélica como patrimônio imaterial e cultural. Para o autor do projeto de lei, vereador Manoel Neves (Republicanos), com a nova legislação o Município de Boa Vista passa a ter a responsabilidade “de garantir a integridade, a manutenção, o respeito e consequentemente a existência da cultura evangélica em nossa cidade”.

“Graças a esta lei todo evento, culto, preservação de templos com valor histórico, dentre outras coisas, que pertençam à cultura evangélica, devem ter total apoio da Prefeitura para que seja garantido o direito de ser realizado. Desta forma, podemos dizer que esta lei garante o direito da realização de toda forma de expressão da cultura evangélica em Boa Vista”, explica o vereador.

Ele ressalta ainda que registros oficiais apontam um crescimento no número da população evangélica no país. Segundo Neves, dados do Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística (IBGE) de 2010 afirmaram que os evangélicos representavam 22,2% da população brasileira.

Já em 2020, o Instituto de Pesquisa DataFolha divulgou levantamento que apontava que os evangélicos já representam 31% da população brasileira, ou seja, 65,4 milhões de pessoas.

“A cultura evangélica expressa a crença, individual ou coletiva, que se originou com a reforma protestante há mais de 500 anos. Atualmente não se trata apenas de uma religião, mas de uma verdadeira forma de expressão cultural de um povo, possuindo alta relevância na cultura do povo evangélico do nosso município”, destacou o vereador.

Comente

Seu e-mail não será publicado. Campos obrigatórios *.

Isso vai fechar em 20 segundos