Cidade do campo- Investimentos no agro fortalecem as ações produtivas na capital

Por meio do Plano Municipal de Desenvolvimento do Agronegócio (PMDA), mais de 1.100 famílias do campo já foram beneficiadas desde a sua criação em 2018

Por: PMBV | Foto: PMBV


Cidade do campo, beira-rio/ Estrela do norte do Brasil/ Cidade do campo, entardecer/Boa Vista linda de se ver”. Os versos da célebre canção do poeta Eliakin Rufino expressam muito bem que a beleza de Boa Vista está justamente naquilo que a natureza tem a oferecer. E não é por menos. Por meio dos investimentos da prefeitura, o setor produtivo na capital se fortalece a cada ano.

Um dos principais responsáveis por esse desenvolvimento da produção agrícola em Boa Vista é o Plano Municipal de Desenvolvimento do Agronegócio (PMDA), que desde a sua criação em 2018, já atendeu mais de 1.100 famílias e foram investidos mais de R$ 27 milhões em insumos, máquinas e implementos no município, viabilizando 2.934 hectares de lavouras diversas, somente na área rural.

Nestes primeiros seis meses de 2023, foram investidos quase R$ 4,3 milhões em insumos como: calcário, fertilizantes, sementes e Kits de irrigação Fotovoltaica, além de máquinas e implementos. Atualmente, 104 máquinas da prefeitura estão à disposição das áreas rurais.

“Nós entendemos que o agro é um setor que precisa de toda atenção necessária, pois além de beneficiar as famílias que vivem no campo, a produção também abastece a zona urbana,  merenda escolar, contribuindo para o fortalecimento da economia do nosso Estado. Por isso, temos investido bastante no setor por meio do PMDA e implementos agrícolas”, disse o prefeito Arthur Henrique.

Agricultura Familiar Indígena – Só nestes dois anos, foram R$ 3 milhões investidos, através da Secretaria Municipal de Agricultura e Assuntos Indígenas (SMAAI). Em 2023, teve início o Projeto de Piscicultura Moro-Morí, lançado em março desse ano, iniciando pela Comunidade Serra da Moça e, agora, se estende às demais comunidades de Boa Vista.

Com a proposta de fortalecer a agricultura familiar, o projeto contempla todas as etapas, desde a escavação dos tanques à criação dos alevinos. Só a comunidade Serra da Moça recebeu 1.080 alevinos de tambaqui e todo o aparato necessário para o manejo da produção.

Além disso, a comunidade Darôra foi a primeira a receber o Sistema de Irrigação Fotovoltaica, outra novidade de 2023. Trata-se de uma técnica de plantio ainda inédita no Estado de Roraima, que dispõe de alta tecnologia e sustentabilidade na geração de energia limpa e renovável por meio de placas solares. Dos 35 primeiros kits adquiridos, cinco foram destinados para as comunidades indígenas.

“A prefeitura, através da SMAAI, está em constante busca de aperfeiçoamento das técnicas, dos insumos e da tecnologia para as famílias do campo. Só neste segundo semestre estamos investindo em novas máquinas, novos implementos, para aumentar a rede de apoio para a agricultura familiar, que é o principal foco da gestão”, destacou o secretário municipal de Agricultura, Guilherme Adjuto.

AGROBV 2023 – Os resultados de todos esses investimentos poderão ser conferidos na Maior Feira da Agricultura de Roraima, a Agro BV, que já chegou a receber mais de 22 mil pessoas no ano passado. E para esse ano, a expectativa é receber ainda mais pessoas. O evento traz exposição de empresas do agronegócio, amostras de cultivares e experimentos, Campo de Girassóis e Pavilhão da Agricultura Familiar.

A feira vai acontecer entre os dias 28 e 30 de julho, no Centro de Difusão Tecnológica, região do Bom Intento, onde terão nove talhões com diversos tipos de cultivares plantadas em 22 hectares, dentre eles: milho, soja, hortifrútis e, claro, o tradicional campo de girassóis.

Infraestrutura de qualidade para escoamento da produção

Todo o resultado produção agrícola não chegaria às mesas se não houvesse estradas pavimentadas aptas ao escoamento. E se tratando de infraestrutura, a Prefeitura de Boa Vista não tem medido esforços para melhorar as condições de trafegabilidade das vicinais na zona rural e comunidades indígenas.

A região do Bom Intento, por exemplo, é uma das que têm recebido os investimentos do município em asfaltamento. Trata-se de uma importante localidade que abriga os polos de agricultura familiar, com uma produção bastante diversificada, com o cultivo de grãos (milho, soja e sorgo), hortaliças, hortifrútis (maracujá, melancia, tomate e laranja), além de bovinocultura.

A vicinal BVA 349 já recebeu cerca 5,5 km de pavimentação que vão até o entroncamento da BVA 347, mas ainda será executado mais  8 km de pavimentação até a ponte do igarapé Água Boa. Dos investimentos para a aplicação de asfalto, os recursos são oriundos de recursos próprios do município e de convênio do governo federal.

Também na região rural do Bom Intento as vicinais BVA347 (Brasileirinho, 14 km) e BVA 345 (8 km) receberam revestimento primário. Já passaram por intervenções com serviços de terraplenagem e tapa buracos as comunidades:

– Campo Alegre (8km); Vista Alegre (24km); Darora (9km); Vicinal II – Polo da Batata Doce (12km); Comunidade do Milho (32km); Serra da Moça (22km); Comunidade do Anzol (14km); Comunidade do Morcego (7km); Serra do Truaru (8km); Bom Jesus (12km); Lago Grande (5km), Vicinal do Limão (15km) e Aakan (12km, atualmente, com obras em andamento).

Duas comunidades indígenas de Boa Vista (Vista Nova e Vista Alegre) foram as primeiras a receberem o sistema de iluminação LED ainda em 2022. Ao todo, 131 lâmpadas a vapor foram substituídas por luminárias de LED, sendo 38 em Vista Nova e 93 em Vista Alegre. Este ano, foi iniciada a implantação na Comunidade da Ilha.  

Além disso, duas vezes por ano, as comunidades indígenas recebem os agentes de limpeza para os serviços de roço, capina e remoção de resíduos.  Neste segundo semestre do ano já foram contempladas as comunidades Lago Grande, Reino de Deus, Bom Jesus e Passarão.

Comente

Seu e-mail não será publicado. Campos obrigatórios *.

Isso vai fechar em 20 segundos