La Ninã: Fim de fenômeno climático pode proporcionar ‘verão’ mais intenso em Roraima

O La Niña é um fenômeno que resfria as águas do Pacífico, afetando o regime de chuvas nas regiões próximas à Linha do Equador

Por Bruna Cássia e Isaque Santiago | Foto: divulgação 

O período chuvoso em Roraima, que começa todos os anos no início do mês de abril, está dando sinais de que se adiantou. As chuvas devem seguir até meados de setembro. O que provoca essas chuvas em períodos atípicos é o fenômeno climático La Niña, que vem afetando o regime de chuvas em Roraima nos últimos dois anos. 

O meteorologista da Fundação Estadual do Meio Ambiente e Recursos Hídricos (Femarh), Ramon Alves, explicou que o La Niña é um fenômeno que consiste no resfriamento das águas do Pacífico, afetando o regime de chuvas nas regiões próximas à Linha do Equador.

Apesar das chuvas em abundância, provocadas pelo fenômeno climático, a preocupação é com o próximo período seco. A tendência é que o “verão” roraimense seja mais intenso que nos últimos dois anos. 

Alves afirmou que o La Niña vem enfraquecendo a cada mês. “Nos últimos dois anos estamos sob os efeitos do La Niña, que traz mais chuvas para a nossa região em períodos que não estamos habituados. Por isso, nos últimos anos Roraima não enfrentou secas severas e nem sofreu com focos de calor intensos”, detalhou o meteorologista. 

Devido a proximidade da Linha do Equador, em Roraima existem apenas duas estações, inverno (período de chuva) e verão (período seco). Os meses de junho e julho são os que mais chovem, enquanto dezembro e janeiro são os mais secos.

Quanto ao período chuvoso que se inicia, devido ao La Niña, a previsão continua sendo de chuvas acima da normal. “O pico do período chuvoso geralmente é em junho e historicamente é nesse período que mais chove no Estado. Então, nessa época podem ocorrer cheias nos rios”, explicou. 

Comente

Seu e-mail não será publicado. Campos obrigatórios *.

Isso vai fechar em 20 segundos