Produtores indígenas devem colher 360 toneladas de melancia em Boa Vista

As comunidades indígenas Vista Alegre, Darora e Serra da Moça vêm se tornando polos de referência na produção de hortifrútis

Por: PMBV | Foto: Jonathas Oliveira


As comunidades indígenas de Boa Vista devem colher 360 toneladas de melancia nesta primeira safra 2023, em uma área de, aproximadamente, 12 hectares. Por meio do Projeto Hortifrútis (HF), a colheita deve acontecer em nove comunidades em parceria com a Prefeitura. 

Desde 2018, a iniciativa vem beneficiando em torno de 60 famílias da agricultura familiar indígena, que contam com toda assistência técnica e insumos.

“Quem desenvolve o projeto de lavoura nas comunidades indígenas é a Secretaria Municipal de Agricultura e Assuntos Indígenas (SMAAI), e hoje temos as comunidades Vista Alegre, Darora e Serra da Moça, que vem se tornando polos de referência na produção de hortifrútis. Isso, graças a nossa equipe técnica, que acompanha os produtores em todo o processo de plantio”, disse o prefeito Arthur Henrique.

O Projeto Hortifrútis atende as comunidades: Serra da Moça, Morcego, Ilha, Campo Alegre, Vista Alegre, São Marcos, Darora, Comunidade do Milho e Truaru da Cabeceira, com a produção de melancia e melão.

“Entramos com todos os insumos necessários como: o calcário, fósforo, NPK (para adubação de fundação); a ureia e o cloreto de potássio (para adubação de cobertura), além de sementes de qualidade. Disponibilizamos o transporte, que faz o escoamento da produção para feiras livres, supermercados, além dos programas sociais como: Programa Nacional de Alimentação Escolar (PNAE), Mesa Brasil e o Programa de Aquisição de Alimentos (PAA).”, disse o secretário da SMAAI, Guilherme Adjuto.

Culturas nas comunidades

O secretário destaca ainda que o município tem o Programa Municipal de Desenvolvimento do Agronegócio (PMDA), onde atende tanto a área rural como as comunidades indígenas, que trabalha no inverno com as culturas de milho e feijão. Já no período de verão, a melancia é a principal cultura que os indígenas mais produzem nas comunidades.

Só na comunidade indígena Vista Alegre, nessa primeira safra foram colhidas 120 toneladas de melancia neste domingo, 15, em uma área de quatro hectares. Para o tuxaua da Vista Alegre, Dinarte Pereira, 43 anos, o estímulo à produção em parceria com a prefeitura, fomenta a economia da região.

“Somos muito gratos a Deus e também a Prefeitura de Boa Vista, por ter nos dado esse incetivo no plantio de melancia. Essa é a primeira colheita do ano, e algumas chegam a pesar 18kg. São bons frutos que vamos colhendo, e é muito gratificante para nós como comunidade e produtores também, poder receber esse auxílio do município”, agradeceu o tuxaua.

Tuxaua Dinarte com sua esposa Edilene, ajudam a levar o alimento para a mesa de centenas famílias roraimenses

A mulher do tuxaua e também produtora rural, Edilene Amaro Macuxi, 34 anos, destaca os incentivos dados pela prefeitura à comunidade. “Ficamos muito satisfeitos com o trabalho que a prefeitura vem fazendo, e que acaba incentivando também os jovens que vivem aqui. Sem falar que boa parte dessa produção, vai para a cidade”, disse.

Balanço – Em 2022, a Prefeitura de Boa Vista investiu mais de R$ 1,4 milhão, na agricultura familiar indígena, beneficiando 148 famílias em quase 40 hectares, com o apoio no plantio de diversas culturas como: milho, feijão, feijão, melão, melancia, batata-doce, macaxeira e hortaliças.

Comente

Seu e-mail não será publicado. Campos obrigatórios *.

Isso vai fechar em 20 segundos