Reclamações sobre telefonia e serviços bancários representam mais de 30% dos atendimentos do Procon Assembleia em 2022

Dos 696 atendimentos, 105 foram relacionados a serviços financeiros e 71 sobre serviços de telefonia como internet móvel e fixa

Por Bruna Cássia e Isaque Santiago | Foto: divulgação 

Mais de 35% das reclamações registradas junto ao Procon Assembleia nos três primeiros meses de 2022 foram relacionados à telefonia fixa, móvel, internet e serviços financeiros prestados por empresas de empréstimos consignados, operadoras de cartão de crédito e bancos. 

Segundo a diretora do Procon Assembleia, Mileide Sobral, 71 reclamações foram relacionadas à telefonia e 105 sobre serviços financeiros. Ficando atrás apenas de reclamações sobre prestadoras de serviços privados com 439 reclamações, representando 63% dos 696 atendimentos.  

“O fluxo de demandas é grande. As de prestação de serviços privados são a maioria pois são abrangentes e envolvem serviços como reparo de equipamentos, troca de peças, entre outros. Mas logo em seguida entra a telefonia e os serviços financeiros”, detalhou. 

Na telefonia, a maior reclamação é de cobranças indevidas, contas e contratos que o cliente não reconhece, planos que foram aceitos ou que migraram sem a anuência do consumidor. Mileide acredita que o serviço de telefonia não lidera o ranking de reclamações pois muitos encaram as falhas no serviço como rotineiras. 

“Aqui em Roraima temos um problema com internet, mas nem todas as reclamações chegam a ser registradas no Procon, pois o consumidor não formaliza esse tipo de reclamação”, explicou.

Nos serviços financeiros, a falta de diálogo de maneira adequada com o banco é a maior reclamação. “O banco se utiliza de alguns termos técnicos e isso é confuso para o consumidor e o Procon Assembleia consegue fazer essa mediação de maneira mais efetiva, até mesmo pra resguardar os direitos desse consumidor”, pontuou.

Mileide afirmou que os consumidores relatam que o Serviço de Atendimento ao Consumidor (SAC) às vezes é inadequado, o que muitas vezes deixa o cliente exausto. “O consumidor chega ao Procon com um problema que às vezes era pequeno e que foi deixando pra resolver depois por questão de falta de tempo. Temos um consumidor cansado de má apresentação de serviço”, disse. 

Demais reclamações – Completando o ranking de reclamações vem os vícios de produto (bens móveis em geral) e vício dos serviços, com 48 atendimentos, representando 7% do total. Em seguida surgem as reclamações sobre o serviço de abastecimento de água, com 18 atendimentos (3%), energia com nove atendimentos (1%) e alimentos com seis atendimentos (1%).

Procon também sana dúvidas de consumidores 

Mileide ressaltou que muitos não sabem, mas além de ser um órgão de proteção aos direitos do consumidor, de mediação de conflitos, também é um ambiente para sanar dúvidas.

“O consumidor que tiver alguma dúvida que possa ser levada ao conhecimento do Procon Assembleia estamos a disposição para atender. Temos um atendimento presencial na avenida Ataíde Teive, 3510, no bairro Buritis. Funcionamos das 8h às 18h. Temos também um atendimento via WhatsApp pelo número (95) 98401-9465. Também temos o atendimento ao consumidor pelo site www.al.rr.leg.br/procon”, disse Mileide. 

Comente

Seu e-mail não será publicado. Campos obrigatórios *.

Isso vai fechar em 20 segundos