Roraima manterá recuperação significativa de geração de empregos em 2022, indica economista

Fábio Martinez explica que taxa de crescimento da economia do estado está acima da média nacional

Por: Bruna Cássia| Foto: arquivo pessoal

Ano político, Copa do Mundo e avanço da vacinação contra a Covid-19. No setor econômico, esses três itens farão a diferença em Roraima que mantém a taxa de crescimento desta área acima da média nacional há alguns anos.

Por falar em tempo, há três anos seguidos o estado sustenta um bom índice de geração de emprego, fazendo com que a taxa de desemprego tenha queda significativa.

Quem faz essas projeções é o economista de Roraima, Fábio Martinez. Ele explica que ainda é cedo para ter números exatos, mas que, devido ao que foi observado nos anos anteriores, as perspectivas para 2022 são positivas.

“A taxa de emprego ainda não é a que gostaríamos, abaixo de dois dígitos, mas está em 10%, o que é bem menor do que já tivemos em alguns trimestres anteriores, mostrando que estamos em uma recuperação significativa na geração de empregos. Sabemos que o empresário só emprega se ele tiver boas vendas e isso Roraima está tendo nos últimos meses, o que estimula os empreendedores a empregar mais. Então esses bons resultados de um ano acabam alimentando melhoria do ano subsequente, ou seja, temos uma boa projeção de crescimento para 2022”, explicou.

Sobre os grandes eventos deste ano, Martinez acrescenta: “É um ano de Copa do Mundo, que geralmente aumenta as vendas de itens temáticos, mesmo que o Mundial só ocorra no fim do ano, que é um período com movimentação acentuada naturalmente, porém, não deixa de ser um fator”, disse.

“Em relação às Eleições, algumas atividades acabam sendo mais movimentadas como as vendas nas gráficas e área da Publicidade”, destacou. “O avanço da vacinação contra o Coronavírus e diminuição das restrições fazem as pessoas saírem mais e aumentar as compras, outro fator que favorece o aquecimento da Economia local”, adicionou.

Alta dos preços

É importante lembrar que o aumento dos preços deve ser persistente neste ano, mas não tão acentuadas quanto o ano que passou.

“Roraima fechou 2021 com uma alta média em torno de 10%, que fez com que muitas famílias perdessem o poder compra e, consequentemente, não conseguiram comprar como gostariam. Teremos uma sequência de inflação alta neste ano, principalmente no preço do combustível, o que mina nosso otimismo. Porém, observando todos esses indicadores citados anteriormente, temos um quadro mais favorável para este ano”, concluiu.

Comente

Seu e-mail não será publicado. Campos obrigatórios *.

Isso vai fechar em 20 segundos