Última semana de 2023 será marcada por bastante chuva em grande parte do país

Entre domingo e segunda-feira, há a formação de um ciclone extratropical — e vai ocorrer a formação de uma frente fria, que vai proporcionar chuvas principalmente no primeiro momento na região Sul

Por: Brasil 61 | Foto: Rovena Rosa/Agência Brasil


A última semana de 2023 será com bastante chuva em todo o país, exceto em áreas mais ao centro e ao norte da Bahia, pegando também Sergipe. Andrea Ramos, meteorologista do Inmet, avalia que na costa leste da região Nordeste também haverá chuvas, porém com volumes menos significativos.

“De domingo para segunda tem a formação de um ciclone extratropical e que vai ocorrer a formação de uma frente fria que vai proporcionar chuvas principalmente no primeiro momento na região Sul, mas também vai influenciar nas chuvas na região Sudeste e também no Centro Oeste”, explica a meteorologista.

Ciclone extratropical provoca chuva

A formação do ciclone extratropical, próximo ao litoral entre o Rio Grande do Sul e Santa Catarina, proporciona uma frente fria que vai trazer chuvas com volumes significativos e possibilidade de queda de granizo, principalmente do norte do Rio Grande do Sul, grande parte de Santa Catarina e do sul ao centro do Paraná.

A frente fria também influencia na região Sudeste, pois vai se deslocar para o oceano. Esse fato traz chuvas com volumes significativos em praticamente toda a região, com exceção do norte do Espírito Santo e de Minas Gerais.

No Nordeste, a influência do Vórtice Ciclônico de Altos Níveis (VCAN) promove chuvas na faixa litorânea que vai do Maranhão até Alagoas, com possibilidade de precipitações pontuais no centro do Maranhão. Nas outras áreas da região, prevalece tempo aberto, com altas temperaturas e baixa umidade, que em alguns pontos pode variar entre 15% a 20%.

No Norte e no Centro-Oeste o calor e a umidade, juntamente com a influência da Zona de Convergência Intertropical (ITCZ), continuam provocando chuvas em quase toda a área. São esperados volumes de chuva mais significativos no Distrito Federal, centro e sul de Goiás, oeste de Mato Grosso e sudeste do estado.

Alta pós-frontal reduz as chances de chuva no Sudeste

Na terça-feira (26), com o avanço da frente fria pela região Sudeste, a retaguarda da frente será marcada por uma alta pós-frontal, trazendo céu mais aberto e reduzindo as chances de chuva em quase toda a região Sul, com exceção do norte do Paraná, que ainda pode apresentar alguma precipitação.

Devido a influência da frente fria, o Sudeste, especialmente São Paulo, sul de Minas Gerais e grande parte do Rio de Janeiro, terá chuvas significativas. No Centro-Oeste, especialmente em Mato Grosso, as chuvas serão mais localizadas e intensas devido à alta pós-frontal, embora precipitações ainda sejam possíveis em toda a região.

Andrea expõe que com a influência da ITCZ, o norte da região Nordeste também deve esperar chuvas. “Atingindo principalmente o Maranhão, norte do Piauí, boa parte do Ceará e também o Rio Grande do Norte, inclusive a faixa litorânea do Rio Grande do Norte até Pernambuco”, comenta. 

Na Região Norte, acontecem chuvas mais significativas em praticamente todo o Amazonas, Acre e Rondônia, nas demais áreas e norte do Amapá.

Alta pós-frontal reduz as chances de chuva no Sul

Na quarta-feira (27), a alta pós-frontal vai reduzir a formação de nuvens de chuva, trazendo poucas chances de precipitações para a região Sul, com nebulosidade variável, mas sem chuvas. O mesmo se estende do centro ao sul do Mato Grosso do Sul e a maior parte de São Paulo, com chuvas mais prováveis apenas no noroeste paulista.

“No leste de Minas Gerais e também no sudoeste do Espírito Santo, chuvas com volumes mais significativos em forma de pancadas com trovoadas, rajadas de vento, inclusive a possibilidade de queda de granizo concentrados nessa área, mas praticamente todo Minas Gerais e quando a gente vai para o Centro-Oeste, tem também do centro ao sul de Goiás, inclusive o Distrito Federal, Sul de Mato Grosso e norte de Mato Grosso do Sul”, informa.

No Nordeste o tempo fica mais aberto devido a influência do VCAN, porém a frente fria proporciona chuvas no extremo sul e oeste da Bahia, Piauí e Maranhão.

Chuvas com volumes mais significativos também são esperados no Norte, principalmente no Acre, Rondônia, Amapá e centro oeste do Pará.

Diminuição da intensidade das chuvas

Na quinta-feira (28), as chuvas começam a diminuir um pouco na questão da intensidade, mas ainda assim vai prevalecer mais do centro ao norte de Minas, pegando o norte do Espírito Santo, sul e oeste da Bahia, em função do deslocamento da frente fria.

O Centro-Oeste continua com chuva, porém com volumes menos significativos quando comparado aos outros dias. 

No Norte, as chuvas continuam em praticamente toda a região, principalmente no Amapá, norte do Amazonas, noroeste, nordeste e norte do Pará.

“Na região Nordeste chuvas também ocorrem de forma bem pontual, mas ainda assim com volumes significativos ocorrendo no sul do Maranhão, na parte central do Piauí, oeste da Bahia e também na pequena faixa Sudeste, já na faixa litorânea da Bahia”, observa Andrea.

No Sul, persiste a diminuição de chuvas na região e o aumento das temperaturas, principalmente na parte oeste, mas especificamente no noroeste do Paraná.

Aumento nas temperaturas

Sexta-feira (29) continua com aumento das temperaturas na região Sul. No leste de Santa Catarina, devido a instabilidade da umidade que vem do oceano, as chuvas continuam, porém de forma isolada.

Volta a aquecer também no Mato Grosso do Sul e Triângulo Mineiro com as temperaturas ficando na faixa de 34°C ou mais.

A meteorologista afirma que no Nordeste, as chuvas diminuem e ficam concentradas principalmente no extremo sudeste da Bahia e também em uma pequena faixa oeste da Bahia.

“No Piauí e no centro sul do Maranhão, chuvas com volumes também significativos acontecem ali na região em alguns pontos, com aquela característica de temporal e não se descarta a queda de granizo”, explica.

A região Norte mantém o padrão de chuvas em praticamente toda a região. 

Ano Novo

Dos dias 30 de dezembro a 1° de janeiro, as chuvas ficam mais concentradas do Centro ao Norte do país, voltando a chover com volumes significativos.

A formação de uma nova frente fria durante a madrugada, de sexta para sábado, favorece as chuvas intensas nas regiões Sul e Sudeste.

No Nordeste volta a ter chuvas isoladas, porém mais concentradas no oeste e noroeste da Bahia, sudeste do Piauí e Ceará.

Para as regiões Norte e Centro-Oeste, o padrão de chuva com volumes significativos continua.
 

Comente

Seu e-mail não será publicado. Campos obrigatórios *.

Isso vai fechar em 20 segundos