ADRA já atendeu mais 20 mil migrantes venezuelanos por meio do Projeto Emergência Roraima

Atendimentos iniciaram em 2018, quando se intensificou o fluxo migratório por conta da crise socioeconômica na Venezuela

Por: Bruna Cássia

Ao longo de três anos, a Agência Adventista de Desenvolvimento e Recursos Assistenciais (ADRA) já atendeu mais de 20 mil migrantes venezuelanos por meio do Projeto Emergência Roraima.

Os atendimentos iniciaram em 2018, quando se intensificou o fluxo migratório por conta da crise socioeconômica na Venezuela.

As ações são realizadas em parceria com o Fundo das Nações Unidas para a Infância (UNICEF) com foco em atendimento de saúde, nutrição, água, saneamento e higiene.

“O objetivo deste projeto diante da crise humanitária e no contexto da pandemia do vírus COVID-19 é responder as necessidades básicas dos migrantes venezuelanos existentes nessas áreas”, informou a Agência.

As atividades são realizadas por uma equipe profissional de saúde e contemplam ações voltadas para a Atenção Primária à Saúde, além de incluir intervenções preventivas, curativas e atendimento nutricional.

“São feitos monitoramento de imunização, acompanhamento do crescimento e desenvolvimento, tratamento de doenças e pré-natal, assim como avaliação nutricional, suplementação para prevenção da má nutrição, tratamento, monitoramento e encaminhamento”, acrescentou.

No âmbito de água, saneamento e higiene, a ADRA desenvolve ações para o acesso a água potável e de qualidade, educação ambiental, promoção de higiene e aplicação do protocolo de combate a contaminação do vírus Covid-19, que consiste na lavagem das mãos 5 vezes ao dia de toda população abrigada nos Abrigos Oficiais e Ocupações Espontâneas.

“Na situação em que vivem, alguns aspectos de suas vidas são afetados e cada imigrante se vê muitas vezes com seus direitos violados ou não atendidos”, concluiu a Agência.

O que é a ADRA?

A ADRA é a Agência Humanitária da Igreja Adventista do Sétimo Dia, que está presente em mais de 130 países. No brasil, está organizada em 13 unidades regionais que abrangem 15 estados.

A Regional Roraima atua desde 2018 em todos os abrigos de migrantes em Boa Vista e Pacaraima, além das comunidades indígenas Sakaumota, Tarau Paru, Sorocaima e Bananal, que ficam no município.

A Agência também faz atendimentos nos chamados corredores migratórios, nos municípios de Amajari, Iracema, Caracaraí, Rorainópolis e Manaus, capital do estado do Amazonas.

Atualmente, existem quatro projetos desenvolvidos para ofertar atendimento de saúde, nutrição, água, saneamento, higiene, alimentação e de capacitação profissional.

Comente

Seu e-mail não será publicado. Campos obrigatórios *.

Isso vai fechar em 20 segundos