Comissão de Ética da Câmara deve investigar vereador Genilson Costa

A sessão dessa terça-feira, 6, na Câmara de Vereadores de Boa Vista teve como pauta principal a operação da Polícia Federal que investiga o tráfico de drogas e que teve como alvo o presidente Genilson Costa (Solidariedade). O vereador Albuquerque (Rede), presidente da Comissão de Ética da Casa, afirmou que o caso será investigado.

“A Câmara não vai ser omissa nesse caso. Vamos aguardar o inquérito da Polícia Federal para iniciarmos as investigações internas com os demais membros da comissão”, disse Albuquerque.

Também fazem parte de comissão os vereadores Vavá do Thianguá (PSD) e Jullyerre Pablo (União Brasil). Esses mesmos vereadores deixaram de investigar o fato de o vereador Ruan Kenobby (PV) ter agredido a namorada no ano passado. A vítima registrou um boletim de ocorrência na Polícia Civil.

REPERCUSSÃO

Um dia após a investida da PF, o vereador investigado usou a tribuna por cerca de 15 minutos para se defender e afirmar que não tem envolvimento com o crime organizado ou tráfico. Ele acusou os opositores por tanta repercussão do caso e criticou duramente a imprensa roraimense que noticiou os fatos divulgados oficialmente pela Polícia Federal e completou que os trabalhos não serão interrompidos na Casa.

“O município não pode parar por uma simples investigação. Supostamente eu tenha emprestado meu carro para tal situação. Mas o meu passado e o dos meus pais vai dar a resposta”, desabafou Genilson.

ESQUEMA

Segundo a PF, que cumpriu 11 mandados de busca e apreensão em Boa Vista e Alto Alegre, os suspeitos mantinham um esquema para transportar drogas do Amazonas para Roraima e teria movimentado meio milhão de reais em poucos meses.

Comente

Seu e-mail não será publicado. Campos obrigatórios *.

Isso vai fechar em 20 segundos