Instituto ‘A Moda é Viver’ oferta atividades que promovem a saúde mental em Roraima

Criado em 2019, Instituto funciona em Caracaraí e tem outros dois polos em São João da Baliza e Boa Vista

Por: Bruna Cássia | Foto: arquivo pessoal

Com a missão de promover políticas públicas voltadas à prevenção e o combate ao suicídio, violência contra a mulher e uso de drogas, o Instituto A Moda é Viver foi criado em 2019 no município de Caracaraí, região Sul de Roraima.

São mais de 200 crianças e adolescentes de 7 a 16 anos de idade atendidas no núcleo sede, além de São João da Baliza e Boa Vista, com atividades de musicalização e esportivas.

Quem participa do projeto tem acesso a aulas de violão, teclado, canto, bateria, dança, flauta doce, jiu-jitsu.

Além disso, o Instituto busca – por meio de ações comunitárias com o apoio das governanças, sociedade civil e empresários – criar mecanismos para desenvolver projetos que visem a geração de renda, o desenvolvimento social sustentável, a preservação ambiental, assim como a propagação da cultura e do esporte, impactando de forma efetiva a vida das pessoas e comunidades alcançadas, sem distinção de gênero, cor, raça, credo, etnia, povo ou nação.

A idealizadora do projeto é a munícipe Alda Araújo, que resolveu iniciar o Instituto após o falecimento da filha de uma amiga. Ao longo desses quase três anos, o espaço se tornou referência no estado.

“O projeto tem uma importância fundamental. Tiramos Caracarai do ranking do alto índice de suicídio; já formamos indutores de dança que iniciou três anos atrás como coreógrafo; formamos aluno de teclado que vai assumir um cargo de professor ganhando uma bolsa; e os resultados em todos os nossos projetos que vem gerando um impacto muito positivo pra população de nosso município”, destacou.

Como funciona a estrutura do Instituto

A sede funciona em um espaço da casa da Alda. Conta com um salão de 298 m² onde ocorrem as atividades e funciona a academia de Jiu-Jitsu e dança. Praticam o esporte pelo menos 45 alunos. Já o grupo de dança é composto por 33 jovens.

Em outro prédio funciona o escritório administrativo e a diretoria. O espaço abrange copa, cozinha, banheiro e bebedouro. “Para mim é motivo de orgulho saber que estamos ajudando muitos jovens”, acrescentou Alda.

Comente

Seu e-mail não será publicado. Campos obrigatórios *.

Isso vai fechar em 20 segundos